quarta-feira, 7 de novembro de 2012

"Que a certeza não escorregue,feito pedra de sabão..."



Indomada tentou negar tudo que lhes diziam,nada podia ser verdade, afinal como ter certeza de algo que tem como suporte a incerteza? Ela queria acreditar, queria poder pegar tudo e saber que era verdade, não porque havia comprovações,mas simplesmente porque acreditava,e isso basta,ou devia bastar. Mas preferia não crer,talvez pra não criar grandes expectativas e quebrar a cara,pois sempre diziam que quanto maior a altura, maior o tombo, então preferia se manter no chão pra não correr o risco de estabacar-se.

Depois de alguns devaneios percebeu que o que mais machucava não era o não acreditar,e sim, o não confiar,a sua não confiança em si era tamanha que ninguém conseguia depositar um pingo de fé,isso sim a machucava,e a desacreditava,e fazia perder as vontades de voar.Percebeu porém que seus vôos não deviam depender das asas dos outros,e ela não podia querer que os outros a ajudassem,não podia exigir que as pessoas ao seu redor tivesse as mesmas vontades,não podia querer que os quereres dos outros fossem como os seus quereres,não podia exigir confiança,podia apenas se desprender de tudo que a acorrentava,pra ver se assim ficava mais leve,adormeceu e foi em busca de seus pequenos desejos.




2 comentários: